O Clube de Leitura Cristã da paróquia de Porto de Mós, reuniu no passado dia 29 de Outubro para partilhar a leitura do livro:


Eis algumas partilhas que foram aí realizadas:



" Em termos gerais o livro marcou-me porque realça como é possível viver de Deus no meio das maiores dificuldades e sofrimento. Outro aspecto interessante é que se trata de um casal que vive em pleno séc. XXI. É de hoje e não de antigamente e ainda por cima bastante jovem.

Mais do que tudo o que verdadeiramente me impressionou foi a forma como foram crescendo no amor entre eles e no amor a Deus.
Dá para comentar que é através do exemplo de pessoas (casais) como estas que se pode entrever o quanto Deus ama cada um de nós.

Se este casal se amou tanto, isto é, se se amaram tanto entre si e aos outros com quem conviveram, como será o amor de Deus por nós!
Por outro lado gostei de constatar que não são só os padres, as religiosas, a hierarquia da Igreja que são chamados a viver de Deus no concreto das sua vidas, mas que todos os cristãos seja qual for a sua situação, podem amar totalmente a Deus no momento da sua existência.

Por fim não posso de me deixar de referir ao título do livro: "Nascemos e jamais morreremos", pois creio, no mais profundo do seu coração que todos os que vão partindo permanecem vivos na eternidade de Deus e fazem mesmo a comunhão connosco."


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


« O Senhor põe a verdade dentro de cada um de nós e não existe a possibilidade de a compreender mal».

Com Chiara, uma jovem comum, vimos que efectivamente a verdade está dentro de cada um de nós e não temos forma de não a compreender.

De facto, muitas vezes na nossa vida temos tendência a tentar não compreender ou tentar ver de um modo diferente aquilo que não é modificável, aquilo que é assim e não de um outro modo... isto é, a verdade existe no mais íntimo de cada um de nós. Contudo, chega o momento que vislumbramos a verdade e compreedêmo-la exactamente como ela é.... e é nesse momento que Deus  "te convida para dançar com Ele e, se aceitares, descobres que com a dor está também a paz,  a alegria".  

E assim foi, Chiara aceitou o convite de Deus e deixou-se conduzir por Ele.. . Rumo à felicidade suprema, onde a dor e o sofrimento são pequenos pormenores... pormenores  que são facilmente esquecidos quando o teu ser é totalmente invadido por amor verdadeiro! 

E quando parece que tudo chegou ao fim, vês que ainda está prestes a começar.... pois «o amor consome-te, mas é tão bonito morrer consumidos, exactamente como  uma vela que se apaga quando atinge o seu objectivo».




Outras partilha que chegaram via email:


"Deixo aqui a minha  opinião sobre o livro: Nascemos e Jamais morremos.

"Nascemos e Jamais morremos" uma frase muito forte para um titulo de um livro mas ainda mais forte para nós que acreditamos na vida eterna.

Gostei muito do livro, da fé  da coragem desta rapariga. A parte que mais me tocou foi ela não querer que o filho se "apegasse" a ela para nao sofrer mais tarde quando ela já não estivesse cá. Foi um gesto de amor muito bonito e que lhe deve ter causado muito sofrimento nao poder fazer parte da vida daquele menino.

É uma grande lição de vida, de amor de entrega...

Acredito que ela morreu feliz, porque se entregou a DEUS,quando já nada se podia fazer na terra. Ela entregou-se ao abandono do Pai, entregou-se ás mãos do Pai,por isso morreu em paz. Porque estava com Ele, sentia a sua presença e porque com Ele tudo se suporta.

Queira DEUS que eu consiga morrer com essa paz.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Música-litúrgica

Pároco