Em relação ao livro do mês de dezembro do nosso clube de leitura, começo por considerar que foi feliz a escolha desta temática para o tempo do Advento e, ainda mais importante, foi o poder enquadrar este “livro” no Ano Santo da Misericórdia, pois permite-nos refletir sobre a Mensagem de Fátima à luz do que se vive na Igreja também nos dias de hoje. Nesta linha de leitura, realço a seguinte frase do bispo de Leiria-Fátima: O grande protagonista do acontecimento Fátima é o próprio Deus misericordioso”


Analisando alguns aspetos mais em pormenor,  começo por selecionar esta frase, pois ajuda-nos a posicionar a nossa devoção a Nossa Senhora “O nosso amor a Maria é muito mais do que uma mera devoção sentimental; é, antes, a contemplação da beleza do amor misericordioso de Deus por nós, pela humanidade dispersa que Ele quer reunir; é a contemplação da beleza da Igreja como Povo do Senhor, de que ela é membro eminente e mãe amorosa; e da beleza da vida com Cristo, de quem ela foi mãe e primeira e perfeita discípula.”

Passo ao nº18, em que é realçada a ligação da mensagem de Fátima à Eucaristia É este mistério de amor misericordioso que celebramos na Eucaristia e que está no centro da espiritualidade de Fátima, seja na adoração eucarística seja na Comunhão reparadora, para, na união com Cristo, vivermos a orientação da nossa vida e renovar o sim da oferta de nós mesmos a favor dos outros.”

Saliento também o nº26 em que me agradou bastante o facto de a mensagem sobre Nossa Senhora ter sido centrada em Jesus Cristo, com a citação do papa Paulo VI “Cristo veio a nós por Maria, recebemo-lo dela; se queremos pois ser verdadeiros cristãos, devemos reconhecer a relação essencial e vital que une Nossa Senhora a Jesus e que nos abre o caminho que a Ele conduz”.

Gostei especialmente do nº28 pela forma feliz como D.António Marto sintetiza, de uma forma muito bela e profunda, o papel de Maria como figura e modelo da Igreja em toda a sua vivência espiritual, mas também concretizada em cada dia: Maria: modelo da Igreja discípula crente, que acolhe com fé e põe em prática a Palavra de Deus; da Igreja mãe, cuja missão é tornar Cristo vivo nos corações dos fiéis; da Igreja virgem na fidelidade de todo o coração ao Senhor; da Igreja orante no louvor e ação de graças como Maria no Magnificat e no cenáculo; da Igreja profeta anunciadora da Palavra e da justiça; da Igreja oferente, que faz da própria vida e missão uma entrega a Deus e caminho de santificação como Maria na apresentação de Jesus no templo e junto à cruz; da Igreja peregrina no meio das tribulações a caminho da Pátria da bem-aventurança; da Igreja do Espírito do Pentecostes, animada, unida e guiada por Ele na sua comunhão e missão; da Igreja missionária, em saída, como na Visitação a Isabel, para levar a ternura e a misericórdia de Deus a todos, sobretudo aos pobres e aos aflitos lembrados no Magnificat (Cf. MC 16-22).”


Foi muito bom redescobrir a Mensagem de Fátima. Obrigada ao sr. Bispo da diocese de Leiria-Fátima, que escreveu a mensagem pastoral e ao sr. Pe. José Alves, que nos motivou para a sua leitura.

um leitor do clube de leitura da paróquia de Porto de Mós

Música-litúrgica

Pároco