V DOMINGO DA QUARESMA 


LEITURA I Is 43, 16-21 

Leitura do Livro de Isaías 
O Senhor abriu outrora caminhos através do mar, veredas por entre as torrentes das águas. Pôs em campanha carros e cavalos, um exército de valentes guerreiros; e todos caíram para não mais se levantarem, extinguiram-se como um pavio que se apaga. Eis o que diz o Senhor: «Não vos lembreis mais dos acontecimentos passados, não presteis atenção às coisas antigas. Olhai: vou realizar uma coisa nova, que já começa a aparecer; não a vedes? Vou abrir um caminho no deserto, fazer brotar rios na terra árida. Os animais selvagens – chacais e avestruzes – proclamarão a minha glória, porque farei brotar água no deserto, rios na terra árida, para matar a sede ao meu povo escolhido, o povo que formei para Mim e que proclamará os meus louvores». 
Palavra do Senhor. 



LEITURA II Filip 3, 8-14 

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses 
Irmãos: Considero todas as coisas como prejuízo, comparando-as com o bem supremo, que é conhecer Jesus Cristo, meu Senhor. Por Ele renunciei a todas as coisas e considerei tudo como lixo, para ganhar a Cristo e n’Ele me encontrar, não com a minha justiça que vem da Lei, mas com a que se recebe pela fé em Cristo, a justiça que vem de Deus e se funda na fé. Assim poderei conhecer Cristo, o poder da sua ressurreição e a participação nos seus sofrimentos, configurando-me à sua morte, para ver se posso chegar à ressurreição dos mortos. Não que eu tenha já chegado à meta, ou já tenha atingido a perfeição. Mas continuo a correr, para ver se a alcanço, uma vez que também fui alcançado por Cristo Jesus. Não penso, irmãos, que já o tenha conseguido. Só penso numa coisa: esquecendo o que fica para trás, lançar-me para a frente, continuar a correr para a meta, em vista do prémio a que Deus, lá do alto, me chama em Cristo Jesus. 
Palavra do Senhor. 



EVANGELHO Jo 8, 1-11 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João 
Naquele tempo, Jesus foi para o monte das Oliveiras. Mas de manhã cedo, apareceu outra vez no templo e todo o povo se aproximou d’Ele. Então sentou-Se e começou a ensinar. Os escribas e os fariseus apresentaram a Jesus uma mulher surpreendida em adultério, colocaram-na no meio dos presentes e disseram a Jesus: «Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Na Lei, Moisés mandou-nos apedrejar tais mulheres. Tu que dizes?». Falavam assim para Lhe armarem uma cilada e terem pretexto para O acusar. Mas Jesus inclinou-Se e começou a escrever com o dedo no chão. Como persistiam em interrogá-l’O, ergueu-Se e disse-lhes: «Quem de entre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra». Inclinou-Se novamente e continuou a escrever no chão. Eles, porém, quando ouviram tais palavras, foram saindo um após outro, a começar pelos mais velhos, e ficou só Jesus e a mulher, que estava no meio. Jesus ergueu-Se e disse-lhe: «Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?». Ela respondeu: «Ninguém, Senhor». Disse então Jesus: «Nem Eu te condeno. Vai e não tornes a pecar». 
Palavra da salvação. 



ORAÇÃO DOS FIÉIS 

1. Pelo Papa N., pelos bispos, presbíteros e diáconos, 
para que encontrem em Jesus Cristo o bem supremo 
e o anunciem com alegria ao mundo de hoje, 
oremos. 

2. Pelos catecúmenos e pelos fiéis da santa Igreja, 
para que o poder da ressurreição de Jesus Cristo 
os faça correr com entusiasmo para a Páscoa, 
oremos. 

3. Pelos responsáveis no governo das nações, 
para que a sabedoria com que Deus os enriquece 
sirva sempre para o bem dos cidadãos, 
oremos. 

4. Pelos esposos que cometem adultério, 
para que os discípulos de Jesus saibam acolhê-los 
como Jesus acolheu a pecadora, 
oremos. 

5. Pelos fiéis da nossa comunidade (paroquial), 
para que o sacramento da reconciliação lhes dê a paz 
e a alegria de Jesus Cristo ressuscitado, 
oremos. 

Música-litúrgica

Pároco