V DOMINGO DO TEMPO COMUM


LEITURA I Job 7, 1-4.6-7 

Leitura do Livro de Job 
Job tomou a palavra, dizendo: «Não vive o homem sobre a terra como um soldado? Não são os seus dias como os de um mercenário? Como o escravo que suspira pela sombra e o trabalhador que espera pelo seu salário, assim eu recebi em herança meses de desilusão e couberam-me em sorte noites de amargura. Se me deito, digo: ‘Quando é que me levanto?’. Se me levanto: ‘Quando chegará a noite?’; e agito-me angustiado até ao crepúsculo. Os meus dias passam mais velozes que uma lançadeira de tear e desvanecem-se sem esperança. – Recordai-Vos que a minha vida não passa de um sopro e que os meus olhos nunca mais verão a felicidade». 
Palavra do Senhor. 




LEITURA II 1 Cor 9, 16-19.22-23 

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo S. Paulo aos Coríntios 
Irmãos: Anunciar o Evangelho não é para mim um título de glória, é uma obrigação que me foi imposta. Ai de mim se não anunciar o Evangelho! Se o fizesse por minha iniciativa, teria direito a recompensa. Mas, como não o faço por minha iniciativa, desempenho apenas um cargo que me está confiado. Em que consiste, então, a minha recompensa? Em anunciar gratuitamente o Evangelho, sem fazer valer os direitos que o Evangelho me confere. Livre como sou em relação a todos, de todos me fiz escravo, para ganhar o maior número possível. Com os fracos tornei-me fraco, a fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, a fim de ganhar alguns a todo o custo. E tudo faço por causa do Evangelho, para me tornar participante dos seus bens. 
Palavra do Senhor. 




EVANGELHO Mc 1, 29-39 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos 
Naquele tempo, Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, a casa de Simão e André. A sogra de Simão estava de cama com febre e logo Lhe falaram dela. Jesus aproximou-Se, tomou-a pela mão e levantou-a. A febre deixou-a e ela começou a servi-los. Ao cair da tarde, já depois do sol-posto, trouxeram-Lhe todos os doentes e possessos e a cidade inteira ficou reunida diante da porta. Jesus curou muitas pessoas, que eram atormentadas por várias doenças, e expulsou muitos demónios. Mas não deixava que os demónios falassem, porque sabiam quem Ele era. De manhã, muito cedo, levantou-Se e saiu. Retirou-Se para um sítio ermo e aí começou a orar. Simão e os companheiros foram à procura d’Ele e, quando O encontraram, disseram-Lhe: «Todos Te procuram». Ele respondeu-lhes: «Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de pregar aí também, porque foi para isso que Eu vim». E foi por toda a Galileia, pregando nas sinagogas e expulsando os demónios. 
Palavra da salvação. 




ORAÇÃO DOS FIÉIS

1. Pelo nosso Bispo N., seu presbitério e diáconos, 
pelos acólitos, leitores e catequistas 
e pelos que exercem algum ministério eclesial, 
oremos. 

2. Pelos missionários enviados a outros povos, 
pelas Ordens e Congregações religiosas 
e pelos movimentos cristãos de apostolado, 
oremos. 

3. Pelos povos e nações do mundo inteiro, 
pela (cidade ou vila ou aldeia) em que vivemos 
e por todos os seus habitantes sem trabalho, 
oremos. 

4. Pelas famílias de toda a terra, 
pelos jovens, suas esperanças e projectos 
e por todas as crianças amadas ou maltratadas, 
oremos. 

5. Pelas viúvas e pelos órfãos, 
pelos que sofrem alguma doença incurável 
e por todos  os rejeitados deste mundo, 
oremos.



Música-litúrgica

Pároco