Tal como estava anunciado, no último dia 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição, na Igreja Paroquial de S. Pedro, em Porto de Mós, realizou-se às 15:00h o Livro: "O Bom Jesus de Porto de Mós, Concento dos Agostinhos Descalços, 1673-1834".

Este livro tem como autores Kevin Carreira Soares e Beatriz Rodrigues Cabral. Ele historiador/investigador  de história e natural desta Vila de Porto de Mós, Ela sua colega de estudos e de insvestigação.

A pedido do pároco, P. José Alves, estes autores dedicaram-se a estudar a origem e a evolução do antigo convento do "Bom Jesus" fundado pelos frades Agosntinhos Descalços. Esta ordem teve um grande desenvolvimento em Portugal nos séculos XVII e XVII, tendo sido extinta com tantas outras ordens religiosas com a Extinção das Ordens Religiosas de Portugal e depois das invações francesas que na zona foram causa de delipidação de igrejas e tudo o que era de importância local, tendo levado à ruina as ordens religiosas e muitas igrejas.

A apresentação do livro aos muitos presentes que se reuniram na Igreja de S. Pedro de Porto de Mós foi realizada pela Doutora Clarisse Louro, directora da Escola de Saúde de Leiria e presidente da Assembleia Municipal de Porto de Mós. Ela fez uma apresentação muito interessante e cuidada do livro e apresentou as razões da importância deste estudo para a valorização do património religiosos e local desta vila de Porto de Mós. Além dela, usaram da palavra diversas pessoas nomeadamente o presidente da Câmara Municipal,  Jorge Vala, presidente da Assembleia da Junta de Freguesia José Gomes, presidente da Caixa de Crédito Agrícola, o pároco e os autores. Além destes oradores usou também o padre Rui Caldeira da Ordem Santo Agostino que deu um esclarecimento sobre o que é uma ordem agostiniana e as diversas ordens religiosas que existem sob a espiritualidade de S.to Agostinho. A sessão foi coordenada pelo editora do livro representada pelo Sr. Carlos Fernandes.

Esta sessão foi ainda animada por um flautista, António Mesquita e um tenor António Alves que animaram esta sessão com belíssima música. Seguiu-se a sessão de autógrafos e o convívio final com as saborosas Filhós e o tradicional café da Avó. O encerramento deste evento esteve ao encargo do pároco que disse que o "Mosteiro do Bom Jesus" é o segundo monumento mais importante e de maior impacto logo a seguir ao castelo de D. Fuas. Por isso, este patrómio é o herançaa que tem de ser perservada e, sobretudo, tem de dar identidade e ser a base do futuro desta comunidade paroquial e civil. A todos que tornaram este momento tão especial os sinceros parabéns.

Algumas fotos da inauguração:








Música-litúrgica

Pároco